.

Acessibilidade

Aumentar Fonte
.
Diminuir Fonte
.
Fonte Normal
.
Alto Contraste
.
Libras
.
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Mapa do Site
.
Acesso à informação
.

De segunda a Sexta das 8:30h às 11:30h e 13h30 às 17h06

Assistência Social - Quinta-feira, 31 de Agosto de 2023

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

Agosto Lilás: mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher

Juíza Katiuscia Kuntz Brust aborda questões diárias vivenciadas pelas mulheres e alerta comunidade


Agosto Lilás: mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher

O mês de agosto é marcado como o mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher e a Administração Municipal, através das Secretarias de Saúde e Assistência Social, realizou algumas ações para intensificar essa campanha e conscientizar a comunidade como um todo.

Para encerrar as ações do AGOSTO LILÁS, a Juíza da Segunda Vara Criminal de Cruz Alta, Dra. Katiuscia Kuntz Brust, foi a convidada para palestrar, na tarde de terça-feira, dia 29 e assim falar do cenário desse assunto que afeta toda a sociedade.

Dentre vários pontos mencionados pela juíza, ela abordou: o por quê a violência acontece e os ciclos, ou seja: a fase de tensão, fase de agressão e a fase da “lua de mel”; os tipos de violência que a mulher enfrenta, sendo eles: a violência patrimonial, a violência sexual, a violência física, a violência moral e a violência psicológica.

Outro ponto bem importante mencionado pela juíza foi quanto as medidas protetivas que a mulher pode e deve tomar: “Nós sempre alertamos que é preciso que elas falem, para isso, tem uma rede de apoio que dá o suporte e ampara elas através das Medidas Protetivas de Urgência da Lei Maria da Penha, ou seja: afastamento, proibição do contato, fixação de limite mínimo de distância, restrição ou suspensão de visitas com os menores e a fixação provisória de pensão alimentícia”, salienta Katiuscia.

O caso alarmante mencionado pela juíza foi o crescimento da violência que as mulheres vem passando sendo que, 10 mulheres são mortas por dia no Brasil, algo que preocupa imensamente os órgãos interligados ao fato.

A juiz alertou bastante sobre a preocupação que afeta não só a mulher, como também os filhos, e a família como um todo “isso se replete em toda a cadeia familiar. E é muito visível os sinais apresentados pelas crianças por exemplo que são as primeiras a refletir o ambiente tóxico através do comportamento apresentado como: depressão, insegurança, stress, conduta agressiva e queda no desempenho escolar”, sinaliza ela.

Nenhuma mulher é obrigada a passar por nenhum tipo de violência, para isso, é necessário que quando assim ocorrer, mesmo com receio ou medo, ela, ou qualquer outra pessoa que presenciar os fatos, entre em contato imediatamente com a Delegacia de Polícia, Brigada Militar (190), Disque 100 - um canal gratuito e anônimo e a Central de Atendimento a Mulher, pelo 180.

Ressalta-se que a Administração Municipal, através das Secretarias de Saúde e Assistência Social, está sempre dando o suporte as vítimas, independente ao mês alusivo ao combate a violência. 

 

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

139 Visualizações

Voltar para a listagem de notícias

.
.

Calendário de eventos

.
.

Acompanhe-nos

.

Unidades Fiscais

.
UF - 2023

R$ 483,45

.
URM - 2023

R$ 5,67

.
.

Prefeitura Municipal de Pejuçara - RS.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.